Eventos, Livros, Resenhas

‘Lendo e Relendo’ O Duque e Eu – Julia Quinn

Banner O duque e Eu

Olá,

Comecei as leituras para o evento Romances de Época Editora Arqueiro, que irei media aqui em Manaus dia 12. Sintam-se convidados, dados do evento aqui. Para mais informações sobre as outras 23 cidades que também sediarão o evento, clique aqui.

Eu fui pela ordem alfabética do nome da escritora na hora de escolher que livro eu iria ler. E sabe o quê? Acertei! O Duque e Eu é o primeiro livro da série Os Bridgertons, uma família muito respeitada na alta sociedade inglesa. Violet e Edmund Bridgerton, este último falecido, escolheram uma forma bem simples de nomear os filhos. Anthony, Benedict, Colin, Daphne, Eloise, Francesca, Gregory e Hyacinth. A ordem alfabética é até um dos temas escolhidos pela misteriosa colunista Lady Whistledown, que fofoca sobre a vida da alta sociedade. E já antecipando, cada trecho de sua coluna abre um novo capitulo e, pelas fofocas, ela estará presente até o quarto volume.

“Os Bridgertons são, de longe, a família mais fértil da alta sociedade. Essa qualidade da viscondessa e do falecido visconde é admirável, embora se possa dizer que suas escolhas de nomes para seus filhos sejam bastante infelizes.”

CRÔNICAS DA SOCIEDADE DE LADY WHISTLEDOWN, 26 DE ABRIL DE 1813.

A série é composta de oito livros e mais um compêndio, ainda não confirmado pela Editora Arqueiro. Cada livro conta a estória de um dos irmãos Bridgertons encontrando o verdadeiro amor. A série tem cenas eróticas, com foco principalmente no início do romance (a tal fase da paixão), recheado de machos alfas que não querem se comprometer e costumes que eu nem sabia que existiam no século XIX. Não sei se é ruim ou não, mas os livros não seguem a ordem dos nomes.

Árvore de Os Bridgertons

Fonte: Editora Arqueiro

Julia Quinn, Os Bridgertons #01 - O Duque e EuO Duque e Eu – Familia Bridgerton – Livro 01 – Julia Quinn

“Simon Basset, o irresistível duque de Hastings, acaba de retornar a Londres depois de seis anos viajando pelo mundo. Rico, bonito e solteiro, ele é um prato cheio para as mães da alta sociedade, que só pensam em arrumar um bom partido para suas filhas. Simon, porém, tem o firme propósito de nunca se casar. Assim, para se livrar das garras dessas mulheres, precisa de um plano infalível. É quando entra em cena Daphne Bridgerton, a irmã mais nova de seu melhor amigo.

Apesar de espirituosa e dona de uma personalidade marcante, todos os homens que se interessam por ela são velhos demais, pouco inteligentes ou destituídos de qualquer tipo de charme. E os que têm potencial para ser bons maridos só a veem como uma boa amiga. A ideia de Simon é fingir que a corteja. Dessa forma, de uma tacada só, ele conseguirá afastar as jovens obcecadas por um marido e atrairá vários pretendentes para Daphne. Afinal, se um duque está interessado nela, a jovem deve ter mais atrativos do que aparenta.

Mas, à medida que a farsa dos dois se desenrola, o sorriso malicioso e os olhos cheios de desejo de Simon tornam cada vez mais difícil para Daphne lembrar que tudo não passa de fingimento. Agora ela precisa fazer o impossível para não se apaixonar por esse conquistador inveterado que tem aversão a tudo o que ela mais quer na vida.” Sinopse via Skoob.

Simon Basset é um libertino, um aventureiro, charmoso, rico, com, aparentemente, um ótimo legado familiar. Mas Simon é um homem que teve uma infância difícil, tendo que superar uma dificuldade profunda para poder ser notado pelo pai, o duque de Hastings. Após a morte do duque, seu pai, Simon finalmente volta a Londres para assumir seus legados. Porém, Simon é um homem que carrega ódio e sede de vingança pelo pai que supera até a morte. Daphne é a filha mulher mais velha da grande e calorosa família Bridgerton, mas a quarta a nascer. E por isso tem que aguentar muitos desaforos de seus irmãos mais velhos, o que a levou ter uma grande força, tanto mental quanto física. Daphne está em sua segunda temporada pelos bailes da alta sociedade à procura de um bom pretendente, mas ela só arranja ‘perdedores’. Uma gíria minha, não deles, que resume um monte de linhas de explicação.

As coisas mudam drasticamente, o novo Duque se depara com uma jovem mulher misteriosa e extremamente atraente que tem um soco forte o suficiente para derrubar um homem. A partir daí os dois bolam um plano para conseguir que Simon não seja perseguido pelas mães ambiciosas de outras debutantes e Daphne consiga pretendentes melhores. É claro que eles se apaixonam, mas toda a miséria de Simon se interpõem entre eles, os irmãos da Daphne também e é claro que Lady Whistledown gosta de colocar lenha na fogueira. Mas eles juntos conseguem superar as diversidades e encontram seu final feliz.

Eu amei esse livro, gostei da proposta de uma família grande, feliz e acolhedora, e amo caras com passados tristes que tem que ser golpeados (ou abandonados) para encontrar seu próprio caminho (Leia-se Z.). A estória toda deles é engraçada, eu me acabei de rir em muitos momentos. E essa tal de Lady Whistledown… Essa mulher é demais. Eu achei bem interessante que tudo é muito recatado, como nos romances históricos, mas as sutilezas são muitas vezes gritantes de algumas mulheres ao oferecerem seus favores. Simon não é nem um pouco modesto sobre seus atributos, Daphne tem falta de confiança sobre os seus e Anthony é um super irmão mais velho. Nem comentei que Violet, a mãe desse bando de loucos, é uma mulher forte, decidida, que sabe como criar seus filhos e manipula-los. Eu realmente gostei de ler esse livro e indico para os que querem começar no gênero. Por favor, comecem pelo melhor que também é muito bem escrito.

Bem é isso, vou sentir saudades!

Beijos, May.

Anúncios

4 thoughts on “‘Lendo e Relendo’ O Duque e Eu – Julia Quinn”

  1. Antes de conhecer os romances históricos realmente divertidos, com uma boa leitura… Eu passava longe de qualquer coisa que tivesse escrito “histórico” porque tudo me lembrava aqueles paradidáticos chatos que a escola nos passava para ler o único que ainda suportei ir até o final foi “A senhora” e teve muita coisa que ainda fiquei sem entender. Não entendo porque esses benditos paradidáticos tem uma leitura tão complicada!
    Enfim, eu amei a resenha, me deu um bom gostinho de quero mais. Eu já tinha ouvido falar desse livros e já estava com vontade de ler, agora estou mais ainda.

    Curtir

Gostou? Não gostou? Deixe seu comentário, vamos ficar muito felizes em respondê-lo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s