Livros, Resenhas

#MLI2015 – Novas Espécies #01: Fury, de Laurann Dohner

Fury

Olá,

Pra começo de conversa, Fury é uma releitura. Comecei a ler a série Novas Espécies no início do ano passado e ela se tornou uma das minhas queridinhas bem rápido; acabei lendo os dez primeiros volumes de um tapa. Na época ainda não tinha sido publicada aqui no brasil, mas já tinha muitos fãs e os mesmos decidiram fazer uma mobilização para a publicação da série pela editora Universo dos Livros. Irmandade da Adaga NegraMidnight Breed e Os Carpatos foram publicadas pela mesma editora e essas séries são direcionadas ao mesmo público de Novas Espécies, assim era óbvio que a ‘petição’ fosse direcionada a eles.

“—Tudo de que nosso povo mais precisa agora é liderança e orientação, enquanto aprendemos prosperar no mundo fora do cativeiro.”

—Justice North, p. 138

Novas Espécies vai fugir da temática sobrenatural comum nas três séries citadas anteriormente e adentrar um pouco o gênero sci-fi, isso porque as Novas Espécies têm DNA humano e animal, e foram criadas para serem cobaias vivas de uma empresa farmacêutica. O ponto de partida da série é a descoberta da atrocidade que essa empresa fazia com eles e sua recém-adquirida liberdade, mas uma liberdade relativa e prematura. Eles precisam lutar para ter seus direitos, lutar contra os grupos de ódio e lutar mais ainda para conseguirem se adequar a uma vida normal. Há pessoas que dizem que a carapaça humana é nada mais que um artificio, pois eles são animais. Eles têm instintos, olfato, paladar, audição e visão apurados com graus diferentes para cada raça e mais mistérios escondidos em seus corpos.

“—Somos livres. Qualquer coisa é possível agora se formos atrás.”

—Justice, p.365

Fury é o segundo no comando da Organização Novas Espécies (ONE). Ele precisa sempre estar controlado e centrado como um ponto de referência, como seu líder Justice, e para conseguir a independência de seu povo. Fury guarda, assim como seu nome, uma fúria enorme contra todas as injustiças que ele sofreu, inclusive de uma traição quando ainda estava em cativeiro. Ellie Brower era uma funcionária nas Indústrias Marcile, quando foi recrutada para ser uma informante. Ela não sabia o que realmente acontecia por debaixo dos panos, mas não poderia deixar continuar e passa dois anos até conseguir provas suficientes que possam libertar as pessoas aprisionadas que são tratadas como cobaias de laboratório. Durante esse período, ela conhece o 416 e é ele quem ela mais quer libertar, mas para poder salvá-lo e entregar as provas ela teve que incriminá-lo de assassinato com uma pequena garantia de que ele seria muito valioso para ser morto. Nove meses depois, eles se reencontram em um ambiente completamente diferente onde ele tem o controle e não está mais indefeso.  A coisa é que Fury, o 416, jurou matá-la, mas cada vez que ela está em suas mãos ele se sente confuso sobre o que está sentindo em relação a sua humana e se realmente quer machucá-la.

“—Nunca se esqueça de que uma parte de mim é animal.”

—Fury, p. 56

O grande foco da série é o romance, com muita paixão e possessão. Cada livro é intitulado com o nome de um Nova Espécie, sendo que em cativeiro eles eram conhecidos por números e quando adquiriram liberdade se nomearam mediante uma característica marcante, seu objeto favorito ou algo que reflita seus interiores. A estória é narrada em terceira pessoa, dando uma ampla visão dos acontecimentos. Uma coisa incrível na narrativa é que a escritora consegue que você sinta o mesmo que o personagem, o frio na barriga de ansiedade, uma dor no peito de culpa, as lágrimas de tristeza e alegria sem precisar de uma corrente de melodramas; fora que ela consegue escrever cenas de ação incríveis. E mesmo sendo uma releitura, senti tudo isso outra vez. E, ainda que eu saiba a quantas anda a série, não consegui me desligar da minha tiete interior que é pró-Novas Espécies e que torce muito por eles e fica ansiosa pelos próximos livros. Louco, não?!


Ficha técnica

Título: Fury (Novas Espécies #01)

Autor (a): Laurann Dohner

Editora: Universo dos Livros

Páginas: 366

Ano: 2015

Sinopse:

“Ellie é uma enfermeira e fica horrorizada ao descobrir que a companhia farmacêutica para qual trabalha – as Indústrias Mercile – tem feito experimentos genéticos ilegais. Os cientistas combinaram DNA de humanos com o DNA de animais, criando uma nova espécie: seres humanos mais fortes e desenvolvidos. Um desses “experimentos”, o prisioneiro 416, captura o coração de Ellie enquanto ela tenta salvá-lo.

Fury – como o 416 também é conhecido – nunca conheceu compaixão ou amor. Ele passou a vida inteira em uma cela, acorrentado e sofrendo abusos. Ellie, a única mulher em quem ele confiou, o traiu, e agora Fury está livre e à procura de vingança. O ex-prisioneiro jura acabar com a vida da enfermeira que o salvou, contudo, quando ela finalmente está em suas mãos, a única coisa que Fury não quer fazer com esta mulher pequenina e sexy é machucá-la.”


Beijos, May.

Anúncios

2 thoughts on “#MLI2015 – Novas Espécies #01: Fury, de Laurann Dohner”

Gostou? Não gostou? Deixe seu comentário, vamos ficar muito felizes em respondê-lo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s