Livros, Resenhas

|RESENHA| Mundo sem fim – Vol. 1, Ken Follett

Mundo sem fim 1

“Uma guerra que dura cem anos. Uma praga que devasta um continente. Uma rivalidade que pode destruir tudo.

Na Inglaterra do século XIV, quatro crianças se esgueiram da multidão que sai da catedral de Kingsbridge e vão para a floresta. Lá, elas presenciam a morte de dois homens. Já adultas, suas vidas se unem numa trama feita de determinação, desejo, cobiça e retaliação. Elas verão a prosperidade e a fome, a peste e a guerra. Apesar disso, viverão sempre à sombra do inexplicável assassinato ocorrido naquele dia fatídico.

Ken Follett encantou milhões de leitores com Os Pilares da Terra, um épico magistral e envolvente com drama, guerra, paixão e conflitos familiares sobre a construção de uma catedral na Idade Média. Agora Mundo Sem Fim leva o leitor à Kingsbridge de dois séculos depois, quando homens, mulheres e crianças da cidade mais uma vez se digladiam com mudanças devastadoras no rumo da História.”

“Um maravilhoso épico sobre a Inglaterra medieval. Altamente estimulante.” – The Washington Post

“Um imenso elenco de personagens realmente memoráveis. Apesar de ser tentador, este não é um livro para ser devorado de uma vez só, mas saboreado por todo o drama, profundidade e riqueza.” – Library Journal

Sempre tive vontade de ler algo do autor, porém só agora consegui encontrar uma chance. Pesquisando um pouco sobre “Mundo Sem Fim”, descobri que é como se fosse uma continuação (cronológica) de “Os Pilares da Terra”, então se você já leu, vai conseguir se situar mais facilmente no ambiente da história.

É preciso dizer que esse livro é história pura, então a escrita é muito descritiva e densa, mas vale muito a pena pela trama que Ken Follett nos traz, com uma mistura de religião, ambição, ganância, paixões e política em uma Inglaterra medieval muito bem explorada dentro de apenas uma cidade, que deixa o leitor preso do início ao fim.

“Mundo Sem Fim” se passa em Kingsbridge, uma cidade que cresceu ao redor de uma ponte do século X, que tinha o propósito de ligar a cidade de Alvington e Chillington, entre os anos de 1327 a 1361 — época em que estava acontecendo a Guerra dos Cem Anos (1337-1453).

Mundo sem fim 2

A história começa na noite anterior ao Dia de Todos os Santos, quando os fiéis se reúnem na catedral de Kingsbridge para espantar os maus espíritos. É então que conhecemos Gwenda, filha de camponeses muito pobres que para sobreviver tinham que cometer pequenos furtos, e Gwenda desde os oito anos já tinha experiência na área. No dia seguinte, na Feira do Velocino, onde os mercadores exibem suas mercadorias aos turistas, conhecemos Ralph e Merthin Fitzgerald, filhos de Sir Gerald, um cavaleiro em fim de carreira, sem dinheiro e agora sem terras. Merthin, apesar de mais velho, era bem menor e mais fraco que Ralph, que sempre fora o orgulho do pai. E finalmente conhecemos Caris, filha de Edmund, principal mercador de lã e irmão do Prior da cidade, Anthony.

As quatro crianças se conhecem de maneira natural, enquanto brincavam na Feira, mas Caris os convence a irem mais longe, para a floresta, e é então que eles presenciam a cena que mudaria suas vidas. Um cavaleiro, Thomas Langley, está sendo atacado por dois outros homens armados. Ralph, Caris e Gwenda gritam e saem correndo, mas Merthin fica paralisado e assiste Thomas matar os dois homens. O cavaleiro pede ajuda de Merthin para esconder os corpos e enterrar uma misteriosa carta. Eles partem com o aviso de Thomas de que não devem contar nada a ninguém, caso contrário, morreriam.

“O homem mais velho encostou a ponta da espada na garganta de Thomas e o empurrou contra a árvore.

-Você tem uma carta.

-Instruções do conde para o representante do rei no condado sobre a questão dos impostos. Pode ler à vontade.

Era uma piada. Os homens de armas, quase com certeza, não sabiam ler. Thomas tinha muita coragem e calma, pensou Merthin, para escarnecer de homens que pareciam dispostos a matá-lo”

Dez anos se passam e as crianças raramente lembram o ocorrido. Cada um seguiu um caminho, mas ainda possuem contato, mesmo que indiretamente. Merthin e Caris se apaixonaram e mantém um relacionamento. Gwenda só vai a Kingsbridge duas ou três vezes ao ano e Ralph se tornou membro da guarda do conde Roland de Shiring.

Thomas Langley abdicou de sua vida de cavaleiro e se tornou monge da cidade de Kingsbridge, ninguém sabe de onde veio, qual o seu passado, ou se tem família. Porém o passado dele volta para acertar contas, e as quatro crianças, agora adultas, se envolvem em uma rede de intrigas políticas, correndo risco de serem mortas por causa de uma brincadeira na infância.

Mundo sem fim 3

O primeiro volume é extremamente explicativo. Entendemos de maneira clara como funciona a sociedade naquela época. Ken explora todas as classes sociais, desde os camponeses, nobreza e o clero. Ele descreve as pessoas, as classes de uma maneira que nos faz sentir como se fossemos parte daquela sociedade. Ken não dispensa detalhar as cenas de relações sexuais, principalmente as cenas que envolvem algum membro do clero, onde manter relações era um dos maiores pecados.

É evidente também o domínio dos homens sobre as mulheres. Só os padres podem ir à faculdade, só os padres têm razão, as freiras são apenas apoio. Assim como o resto das mulheres na sociedade nasciam para arranjar um bom casamento, ajudar na casa e procriar para resguardar a linhagem da família.

“-Eu não gostaria de ser encarregado de comunicar à madre Cecília que ela será transferida para uma colônia de leprosos.

Houve uma nova onda de risos.

-As mulheres devem ser regidas pelos homens – declarou Theodoric.”

Vemos “de perto” a hipocrisia e a corrupção do clero e da nobreza, tanto individual como coletivamente. As decisões que favoreciam as duas partes eram feitas em paz, mas se se favorecia apenas uma, havia guerra. Certamente o clero ganhava, pois o que estava escrito na bíblia era lei literal e absoluta.

Follett é muito competente ao descrever uma ficção dentro da história, ou seja, a chamada Ficção Histórica. E ainda mais nos envolver na história e situação de cada personagem, fazendo com que odiemos alguns, amemos outros e devoremos cada página para descobrir como será o fim de cada um.


51wj4ilb0gl-_sx347_bo1204203200_Título: Mundo sem fim (Vol. 1)

Autor: Ken Follett

Editora: Arqueiro

Páginas: 559 (total)

Ano: 2015

Adicione: Skoob

Compre: Amazon


Espero que tenham gostado.

Bjs, Tammy.

Anúncios

2 thoughts on “|RESENHA| Mundo sem fim – Vol. 1, Ken Follett”

Gostou? Não gostou? Deixe seu comentário, vamos ficar muito felizes em respondê-lo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s