Livros, Resenhas

RESENHA: Por um toque de ouro, Carolina Munhóz

Olá pessoal, que tal mais uma resenha? Este foi o primeiro livro que li agora em 2017. A Carolina Munhóz é uma autora nacional que me ganhou facilmente com sua escrita bem leve e detalhista, um detalhista que não torna a leitura cansativa.

carolina-munhoz-por-um-toque-de-ouro-por-will-pauley-2

Por um toque de ouro é o primeiro livro da trilogia Trindade Leprechaun, lançada aqui no Brasil pela Editora Rocco com o selo da Fantástica Rocco. O segundo livro da trilogia, Por um toque de sorte, foi lançado ano passado e já estamos no aguardo do desfecho da trilogia.

por-um-toque-de-ouro-resenha-carolina-munhoz-fantastica-rocco-mlnet

 

Por Um Toque de Ouro

Carolina Munhóz

Ano: 2015 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Rocco

 

Herdeira de uma das marcas mais luxuosas de sapatos e bolsas haute couture do mundo, sucesso, dinheiro e glamour praticamente correm no sangue da irlandesa Emily O’Connell. Tudo dá certo na vida dela. Um dia, porém, Emily percebe que tanta sorte talvez não seja mera coincidência.

Nas comemorações do feriado de St. Patrick, após ganhar milhões em uma noite de pôquer, a sorte e o azar se confrontam. No banheiro da festa, a garota se vê vítima de uma tentativa de estupro. O que a salva das estatísticas policiais, no entanto, é a forma como ela consegue se livrar magicamente do perigo.

Dias mais tarde, Emily conhece o misterioso e encantador Aaron Locky, e entre eles surge uma atração irresistível, como se uma aura de poder os cercasse e os unisse. No entanto, Aaron parece esconder alguns segredos por trás de seus cabelos compridos e de sua risada irônica. Ele tem muito a ensinar a Emily, mas, entre todas as coisas, ela jamais sonharia estar envolvida em uma tradição secular lendária.

Será que a sorte vai dar a Emily o poder de guiar o próprio destino?

Para tudo. Primeira coisa, que capa linda, né non?! Eu fiquei apaixonado por esta arte de capa de Por um toque de ouro, o segundo livro também está muito bonito, mas a desse primeiro, nossa! Agora, leprechauns! Você nunca ouviu falar dos leprechauns e não faz ideia do que seja? Tá na hora de se informar mais, hein!! Eu sempre adorei os leprechauns, sou muito curioso quanto a eles e achei algo bem incomum para um livro, algo que você não vê aos montes por aí como zumbis e dragões. E para completar, a história se passa em Dublin, na Irlanda. Meu sonho sempre foi conhecer esse lugar! Então pronto, foi tiro certeiro para eu ler este livro.

O livro se inicia em uma mesa de jogo de pôquer, onde a Emily tem a incrível sorte de ganhar milhões. Não que isso faça diferença para ela já que ela é herdeira de uma das maiores marcas de sapatos e bolsas do mundo. A festa se desenrola e somos apresentados ao melhor amigo gay de Emily, Darren. Afinal, toda mulher deve ter um melhor amigo gay, e isso não torna um livro do tipo “livros que falam sobre gays”, não, o livro não aborda em nada essa questão polêmica de ele ser gay, ele apenas é e está ali sempre junto de Emily. Seus diálogos são os melhores por ela utilizar de gírias gays comuns que tornam tudo bem mais divertido.

A vida de Emily é puro luxo, glamour e festas, ela aparenta ser a típica garota patricinha bem rica que só gosta de esnobar e se acha boa demais para a faculdade, mas ela não é nada disso. Ela apenas é sortuda desde que nasceu, literalmente. Intercalado entre alguns capítulos podemos conferir alguns “RELATÓRIO TL” apenas para nos deixar com mais curiosidade ainda, pois deixa no ar o algo a mais que existe na história, mas não entrega nada. Emily conhece por acaso (ou nem tanto acaso assim) um cara chamado Aaron Locky, bonitão, rico e tão arrogante quanto Emily. E Emily fica invocada com ele, pois, ao contrário de todos os outros homens, Aaron não está se jogando aos pés dela e sim a esnobando. Eles se aproximam e vamos descobrindo que Aaron tem muito mais segredos do que imaginamos e ele está ali com a Emily para contar o que ela precisa saber sobre si mesma.

img_2266

Eu adorei demais o livro, não apenas por ele abordar essa incrível cultura que inclui os leprechauns, mas também pela escrita leve e gostosa de Carolina Munhóz. O segundo livro da trilogia já está aqui na prateleira me encarando para eu começar a ler, mas antes tenho algumas outras prioridades, assim que der vou pegar ele bem rápido.

Espero que gostem.

Abraços,

Roh.

Anúncios

Gostou? Não gostou? Deixe seu comentário, vamos ficar muito felizes em respondê-lo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s