Resenhas

A noiva do capitão, de Tessa Dare

15 de agosto de 2017

Caros leitores,

Nem sempre é ruim estar errado, talvez por uma questão de aprendizagem. Você percebe que está errado, lida com o erro e aprende com ele. Há um fator importante para o início desse processo, algo que dá o estopim para perceber o erro. Pode ser um livro muito incrível que faz você repensar o porquê de não gostar de Romances de Época com escoceses. Se um é pouco, dois é para consumar o fato. Bem, vou falar de um desses livros que mudaram a minha mente hoje.

Série Castles Ever After
Série Castles Ever After

A noiva do capitão é o terceiro volume da série Castles Ever After, escrito por Tessa Dare. Eu ainda não tinha tido a oportunidade, se não me engano, de falar sobre qualquer livro dessa autora. Não sei bem porquê, já que eu adoro os livros dela. Não vou dizer que eles figuram no topo da lista dos meus Romances de Época favoritos, mas eu sempre corro para a livraria quando tem um novo. Falando nisso, a editora Gutenberg publicou mais um recentemente…

Eu comecei a ler os livros dessa autora pela série Spindle Cove, que é tida como a de maior sucesso, e trata de um daqueles lugares para onde as jovens são enviadas. Sabe, quando elas estão adoentadas, se envolveram em algum escândalo ou precisam de um pouco de ar do campo? Esse tipo de lugar! Só que a coisa mágica é que nesse lugar as regras da moral e dos bons costumes impingidos às inglesas é ‘atirado’ para o alto.

Eu ainda não consegui relacionar a série Castles Ever After com a Spindle Cove, acho que não tem uma relação. Na verdade, o único link entre os três livros até então publicados da série Castles Ever After é o fato de as protagonistas herdarem castelos de um padrinho. Todas elas herdam esses castelos depois do falecimento dele, e a trama de cada livro está intimamente ligada a esses lugares. Sendo assim, não vejo o porquê de vocês não começarem a ler pelo livro que quiserem.

A noiva do capitão
A noiva do capitão (Série Castles Ever After; 03), de Tessa Dare.

Pela introdução desta postagem, já sabemos que há pelo menos um escocês neste livro. Contudo, esse escocês (e isso não é spoiler) é nada mais, nada menos que puro fruto da imaginação da nossa protagonista, Madeline. Isso mesmo, ela inventou um noivo bonito, heroico, com patente, lutando em algum lugar desolado e distante, que a ama e por quem ela irá esperar retornar da guerra para casar.

Título: A noiva do capitão (Série Castles Ever After, 3)

Autor: Tessa Dare

Editora: Gutenberg

Páginas: 345

Ano: 2017

Adicionar: Skoob

Comprar: Amazon | Saraiva

21 de setembro de 1808

Caro Capitão Logan MacKenzie,

Só existe um consolo em escrever esta carta absurda. É que você, minha querida alucinação, não existe para que a leia. 

Mas eu estou colocando a carruagem à frente dos cavalos. Primeiro, as apresentações.

Eu sou Madeline Eloise Gracechurch. A maior pateta a respirar o ar da Inglaterra. Receio que esta notícia vá ser um choque, mas você se apaixonou perdidamente por mim quando nós não nos conhecemos em Brighton.

E agora estamos noivos.

Capitão Logan MacKenzie era a desculpa perfeita para sua timidez, ele a manteria afastada dos eventos sociais e da caça ao noivo que sua dedicada madrasta queria iniciar. Sua família aceitou com alegria o tal noivo inexistente, um capitão das Highlands. Pediram que ela escrevesse cartas e mais cartas para ele, não demorou para ela dar vasão às suas frustrações e segredos nessas cartas. A constante lua de mel do pai, o nascimento do irmão, seu caso de amor com um travesseiro…

Quando Maddie começou com essa mentira, ela não tinha consciência de até onde isso poderia chegar. Ela não sabia que seus pequenos irmãos orariam por ele à noite, que seu padrinho lhe daria um castelo nas terras do noivo, que sua tia Thea se apaixonaria pelo mesmo ou que ela própria acabaria se apaixonando pelo noivo fictício. Seis anos depois dessa grande bagunça começar, ela dá um fim ao querido Capitão Logan MacKenzie. Uma morte heroica no campo de batalha.

Inverness-shire, Escócia

Abril de 1817

Um castelo nas Terras Altas, ilustrações, cópula de lagostas e um estranho impossível. Afora o estranho, a vida de Maddie é… digamos, entediante. A parte mais emocionante do seu dia resume-se à espera eterna pelo acasalamento de lagostas, já que sua renda provém das ilustrações que é contratada para fazer. Obviamente, para se ter uma boa história, o mundinho de Maddie precisa ser balançado, e isso acontece na forma de um escocês alto, imponente, o epitome da virilidade e lindo de morrer.

Ali seria a casa de todos eles agora. Ali, à sombra do Castelo Lannair, seus homens poderiam reconquistar o que tinha sido tomado deles. Havia espaço suficiente naquele vale para construir casas, plantar alimentos, começar famílias. Reconstruir a vida. Nada impediria Logan de dar essa chance a seus homens. Ele lhes devia isso. E devia muito mais.

Nove anos após a primeira carta, eis que surge Capitão Logan MacKenzie reevindicando Maddie como sua noiva e cobrando tudo o que ela lhe prometeu em suas cartas. De certo que Logan, se for mesmo o tal capitão, tem sua própria agenda. O objetivo principal é se casar com a louca, mas muito bela, inglesa que roubou terras escocesas para assim garantir que o que sobrou de seus homens tenham terras para viver e prosperá. Logan faria qualquer coisa por eles, e para se vingar da mulher que lhe deu esperança através de suas cartas e o abandonou ao forjar sua morte.

Para ser sincero, Logan precisou de um momento para se recompor.

Ela também tinha tirado seu fôlego. Logan passou muito tempo imaginando a aparência dela. Tempo demais ao longo dos anos. É claro que ela lhe enviou desenhos de todos os benditos cogumelos, lagartas e flores que existiam, mas nunca lhe enviou qualquer retrato dela própria. Pelos deuses, ela era linda. Muito mais bonita do que suas cartas o fizeram imaginar. Também era menor e mais delicada.

No primeiro encontro, Logan fica balançado. A coisa toda é bem cômica, Maddie quer se livrar desse pesadelo e Logan quer as terras. E, apesar da personalidade plácida de Maddie, ambos vão se engalfinhar. Vai ter chantagem, caça a cartas comprometedoras e um toque de sensualidade para deixar o romance no ponto certo. E que romance maravilhoso! A química entre eles é perfeita e, quanto mais eles se conhecem, melhor fica. Eles são um daqueles casais literários impossíveis de esquecer.

Oh, Senhor! Agora ele não era apenas um órfão pobre, mas um órfão pobre, não-amado e apaixonado por livros. Todos os instintos femininos de Maddie ficaram aguçados. Ela vibrava com os piores desejos possíveis. Com o instinto de confortar, encorajar, abraçar.
— Esse olhar de pena que você está me dando — ele disse. — Não gosto dele.
— Eu também não gosto.
— Então pare com isso.
— Não consigo. — Ela agitou as mãos. — Rápido, diga algo insensível. Deboche das minhas cartas. Ameace meus besouros. Faça alguma coisa, qualquer coisa condenável.

Maddie e Logan são incríveis, mas o livro vai além nos personagens secundários. Vamos com pelo menos dois? Primeiro, Tia Thea que é maravilhosa, engraçada, farmacêutica experimental e um ombro amigo. Segundo, Grant. Pausa para respirar fundo. Ele é a pessoa favorita da Maddie, porque ele sempre a faz se sentir bonita, e se tornou o meu personagem favorito também, porque é muito triste. Ele é um dos homens que serviram com Logan e, por causa de uma explosão, ele perde a memória imediata a cada uma hora. Isso lembra um filme até. Logan tem que lhe assegurar umas seis vezes por dia que a guerra acabou e eles estão em casa. Seguido disso, Grant vai perguntar sem falta quando eles podem ir para Ross-shire, porque ele está morrendo de saudade da mãe e dos filhos. Entretanto, eles já passaram por essa vila…

A profissão de guerrear e matar arrancava a humanidade dos homens. Após uma década no exército, Logan viu soldados — até os que usavam o mesmo uniforme que ele — cometer os atos mais perversos contra mulheres. Às vezes ele tinha condições de detê-los; outras não. Mas abusar de mulheres era um limite que Logan nunca ultrapassou. Ele não via isso como motivo de orgulho. Ele não merecia medalhas por isso. Mas fazia com que ele soubesse ter conseguido manter ao menos um fragmento de sua alma. E não seria naquele momento que se entregaria à barbárie.

O livro é bem simples, como os Romances de Época são normalmente, mas tem vários trechos que você percebe uma profundidade nada usual. Eu amei esse livro pelo conjunto: o casal, os personagens secundários, os lembretes do que a guerra faz com os homens, as cenas cômicas, os toques de drama, a perspicácia de mostrar uma mulher delicada e que é bem requisitada no meio em que atua, a relação de fidelidade entre Logan e os soldados, e tantas outras coisas fizeram desse livro único. É um livro aparentemente simples, mas os detalhes fazem com que ele não seja simplório ou comum.

Eu não posso simplesmente recomendar esse livro para vocês, fiz isso várias vezes nos últimos três meses. Vocês têm que levar em consideração também que eu passei mais de um mês escrevendo essa resenha e, ainda assim, acho que ela não está boa o suficiente. Resumindo, vocês precisam ler A noiva do capitão e tirar as próprias conclusões. Não posso garantir que vocês irão amar, que irão rir e que vai se tornar um dos seus favoritos, mas peço que deem pelo menos uma chance.

Beijos, May.

6 comentários em “A noiva do capitão, de Tessa Dare”

  1. Os livros de Tessa Dare estão na minha lista (assim como Lisa Kleypas)depois que vi as capas lindas, quero aumentar minhas leituras de romances de época.
    Estou me roendo de curiosidade após ler essa resenha, mas já quebrei a minha promessa de não comprar mais livros esse ano, e acabei comprando Como a bela domou a fera, pra dar de presente à uma amiga , e O Príncipe Leopardo, O Príncipe Serpente, Como agarrar uma herdeira, e Como se casar com um marquês para minha pessoa, porque eu não sou de ferro.😂

    Curtido por 1 pessoa

    1. Hahahhahaha… morrendo aqui! Eu jurava que tu ia me dizer um título só…

      Mana, pega de volta Quando a bela domou a fera imediatamente! Se você não leu, precisa ler com urgência!

      Eu gosto muito de ler os livros da Tessa, não tem um livro dela que tenha me decepcionado. Ela consegue fazer umas coisas incríveis e bem engraçadas.

      Beijos!

      Curtir

  2. Saudades de suas postagens, pois através delas tomo conhecimento de novos livros, no momento estou lendo outra série mas quem sabe ao terminar eu vá seguir seu conselho e darei uma chance A noiva do capitão. Bjs May.

    Curtido por 1 pessoa

Gostou? Não gostou? Deixe seu comentário, vamos ficar muito felizes em respondê-lo!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s