Livros, Resenhas

Resenha: Interferências, de Connie Willis

Essa história foi escrita por meio de dois clichês: 1) Personagens que vivem brigando, mas se apaixonam; e 2) Triângulo amoroso. Um deles eu adoro, o outro, odeio. Mas de uma forma decente, a autora foi capaz de dosá-los numa trama leve, cheia de personagens cativantes e acabou me surpreendendo com uma comédia romântica que fez a leitura valer a pena. Continue lendo “Resenha: Interferências, de Connie Willis”

Contraindicação, Resenhas

Resenha: A descoberta das bruxas, de Deborah Harkness

A pesquisadora Diana Bishop perdeu seus pais quando ainda era uma criança, e desde então nunca mais quis usar seus poderes de bruxa. Este fato se torna um tanto quanto inconveniente quando, em uma sessão de pesquisa na Biblioteca Bodleiana da Universidade de Oxford, ela se depara com um manuscrito carregado de energia e que, para seu descontento, acaba por colocá-la no epicentro de uma caçada sobrenatural de bruxos, vampiros e demônios. Continue lendo “Resenha: A descoberta das bruxas, de Deborah Harkness”

Livros, Resenhas

Resenha: Entrevista com o vampiro, de Anne Rice

Hoje venho trazer um conteúdo um tanto quanto destoante da época de Natal — a menos que você ache que um relacionamento abusivo e literalmente sanguinário entre dois homens lembre qualquer coisa envolvendo o nascimento do Cristo. Seja como for, a história que vou resenhar hoje é atemporal, portanto, também não se restringe a estações do ano ou datas comemorativas. A bem da verdade, exprime com certa maestria uma linha tênue entre libertinagem e braveza, tendo como pano de fundo as criaturas da noite mais charmosas já inventadas pelo imaginário do homem: os vampiros. Continue lendo “Resenha: Entrevista com o vampiro, de Anne Rice”

Livros, Resenhas

Resenha: Os bons amigos, de Hannah Kent | Ou um confronto entre tradições, fé e modernidade

No seu segundo romance, a australiana de 34 anos, Hannah Kent, entrega em Os Bons Amigos uma obra de gente grande, dessas que costumam figurar com facilidade nas listas de clássicos premiados. Mas a autora vai além disso: consegue sucesso na perigosa tarefa de reinventar e preencher as lacunas de uma história real. Continue lendo “Resenha: Os bons amigos, de Hannah Kent | Ou um confronto entre tradições, fé e modernidade”

Livros, Resenhas

Resenha: Mestre das chamas, de Joe Hill

Nessas últimas semanas eu tenho pensado muito sobre o futuro. Não o meu futuro, exatamente, mas o futuro da humanidade, das profissões, da tecnologia. É um exercício interessante você parar para pensar de verdade sobre qualquer coisa. Pode ser sua vida, sua família, seus amigos. A gente não costuma praticar esse exercício com frequência, e, ao invés disse, seguimos a filosofia do Zeca Pagodinho e deixamos a vida nos levar. Continue lendo “Resenha: Mestre das chamas, de Joe Hill”

Livros, Resenhas

Resenha: The silver cage, de Anonymous | Ou como a religião sentenciou um bom escritor ao anonimato

E se a história deste livro fosse baseada em fatos reais e, por uma questão de segurança e privacidade, o autor preferiu não se identificar? Por outro lado, é possível argumentar que toda ficção é baseada em fatos reais, com acréscimo deste ou daquele artifício narrativo para melhorar tramas simples, como a de um garoto que é expulso do colégio interno e decide voltar para casa sem avisar os pais. Esta premissa em particular diz respeito à obra-prima de J. D. Salinger, O apanhador no campo de centeio.

O que diferencia The Silver Cage da obra de Salinger é a reclamação de autoria. A história d’O apanhador no campo de centeio não apresenta nada que, à época, impedisse Salinger de assumir a responsabilidade pela publicação. Com The Silver Cage a situação é um pouco diferente. Minha teoria é a de que este é um retrato de personagens da vida real cuja história, caso contada como não-ficção, geraria escândalo para uma certa comunidade religiosa, portanto, o autor da obra não teve outra escolha a não ser publicá-la em anônimo. Continue lendo “Resenha: The silver cage, de Anonymous | Ou como a religião sentenciou um bom escritor ao anonimato”

Livros, Resenhas

Resenha: Dentes de Dragão, de Michael Crichton

Olá, pessoal. Hoje eu vim trazer uma resenha que devia há algum tempo, pois li o livro justamente na reta final da minha dissertação. Adianto que foi uma leitura que me deixou um pouco divido. Agora que tive um tempo para digerir a história, passado o sufoco da defesa do mestrado, sinto um pouco mais de segurança para compartilhar com vocês algumas de minhas impressões sobre a leitura. Estou falando do ‘Dentes de Dragão’. Continue lendo “Resenha: Dentes de Dragão, de Michael Crichton”