Livros, NEWS

Sue Hecker e a Série Mosaico

13907173_1484691038223680_6864019770531568555_n

Olá, leitores!

Preparem seus corações, temos uma nova e prestigiada autora parceira, Sue Hecker. Na verdade, estivemos conversando por alguns meses, e cruzando os dedos, para que dê certo um bate-papo com sessão autógrafos nesse lugar perdido, chamado Manaus. Enquanto não sai uma confirmação, irei apresentar aos que não conhecem e tornar a regalá-los com minhas impressões acerca de sua série Mosaico, publicada pela HarperCollins Brasil. E, como fevereiro é mês de aniversário do blog, temos mais umas surpresas guardadas.  Continue lendo “Sue Hecker e a Série Mosaico”

Anúncios
NEWS

AGORA O SILÊNCIO CONTAGIANTE É DIÁRIO!

o-silencio-contagiante-agora-e-diario

Olá, leitores! 

Sentiram saudade? Eu também, muita. Isso está meio atrasado, mas espero que o ano de vocês seja maravilhoso, com livros incríveis, muitos crushes literários de babar e menos mocinhas sem graça. Não é pedir muito, não é mesmo?

Tenho certeza que curtiram essa primeira semana de 2017, que foi bastante agitada aqui no blog. Saiba que não acabou; não os deixaremos órfãos semanas a fio. Esse ano, falaremos sobre livros todos os dias. Sim, postagens diárias! Vocês não vão querer perder essa overdose literária ❤

Além disso, estamos preparando uma programação especial para fevereiro, mês em que o blog completa 5 anos. Isso mesmo, cinco! O tempo passou rápido, mas o que não passou foi essa vontade louca que nos move: os livros. Sempre um mais maravilhoso que o anterior, algumas decepções no meio do caminho, outros que ficaram para sempre em nossas memórias e a ansiedade pelos próximos…

Desejo um ano recheado de leituras extraordinárias,

Mayara Tashiro

 

NEWS

4 anos de Silêncio Contagiante!

banner 4 anos de blog para post

Parabéns, parabéns. Hoje é seu dia, que dia mais feliz!

Hoje faz 4 anos que o blog ‘nasceu’. Um baixinho ainda! Não tenho muito a dizer, mas a agradecer à todos vocês, que fizeram do blog o que ele é hoje. Obrigada aos nossos colaboradores Vlaxio, Rômulo e Kem, aos nossos autores parceiros e blogs, as editoras que confiaram em nós e nos deram uma oportunidade que vai além do virtual e, o mais importante, aos nossos leitores. Semana que vem, vamos fazer algumas coisinhas por aqui e nas nossas redes sociais. Tem muita notícia boa, principalmente para os leitores de Manaus. Continuem acompanhando o blog!

Beijos, May.

NEWS

Machistas não passarão!

wpid-img-20151025-wa0004.jpg

Não há nada melhor que colocar 7 milhões de aspirantes a universitários para discutir um tema que divide águas, é polêmico e ao mesmo tempo visivelmente depreciado. Já ouviu a frase: o Brasil é um pais machista? Deve ter ouvido, sim. Talvez você tenha concordado ou, quem sabe, não pôde concordar por achar que isso já não existe mais. O que os olhos não vêem, o coração não sente. Se você pensa assim, desculpa, mas vou acabar com suas lentes cor de rosa e fazê-lo da melhor maneira ter uma visão menos estreita do assunto. Agora, se você é machista mesmo, assumido, não poderei culpá-lo e só posso dizer que tanto você quanto eu, mulher, somos vítimas de uma sociedade machista. E você será para sempre uma pessoa limitada.

Depois da bomba que foi o tema da redação do Enem 2015, a guerra entre ignorantes e Feministas foi desencadeada e a primeira batalha está sendo travada pelas redes sociais. Aqueles políticos bem conhecidos nossos por suas idiotices crônicas, tais como cura gay e a tradicional família brasileira, colocaram os dedinhos para funcionar logo e já causaram revolta e asco em muita gente. Não entendo como pode haver pessoas que votam nesses tipinhos. Com certeza, deve ser o mesmo que defende a cultura do estupro ou ainda que pensa que mulher que se prese tem de estar prenhe, descalça, com o bucho no tanque, e que se respirar muito profundo merece uns sopapos.

wpid-img-20151025-wa0001.jpgMas você acha bonito receber cantada de pedreiro, ser assediada no ônibus, receber um salário menor do que os homens em mesma posição que você recebem, não poder usar a roupa do comprimento que quiser e não poder sair à noite, já que se acontecer algo, foi porque você que pediu, não poder almejar ter um salário maior que o do seu companheiro/marido, ser subversiva aos caprichos e costumes da ideal dona de casa…

Obedeça, mulher, eu sou o homem da casa e você deve lamber minhas botas.

Lugar de mulher é na cozinha.

Filho meu não vai ser bicha coisa nenhuma.

O que falta pra essa mulher é uma rola.

Essa teve o que pediu…

Vamos mudar o foco um pouco e apresentar alguns aspectos desconhecidos para a maioria:

  1. Feminismo não é sobre a submissão do homem:

Machismo é o comportamento, expresso por opiniões e atitudes, de um indivíduo que recusa a igualdade de direitos e deveres entre os gêneros sexuais, favorecendo e enaltecendo o sexo masculino sobre o feminino. O machista é o indivíduo que exerce o machismo.

O feminismo é um movimento social, filosófico e político que tem o ideal contrário ao do machismo, pois luta pela igualdade de direitos e deveres entre os homens e as mulheres. [O feminista é o indivíduo que exerce o feminismo].

Fonte: Significados

2. Mulheres podem ser machistas e homens podem ser feministas:

Faz parte da sociedade ter uma cultura que é transmitida a todos, homens e mulheres. Assim como um homem que vê uma mulher com saia de comprimento X diz que ela está pedindo para ser estuprada, uma mulher que vê outra de roupa curta também julga de mesma forma. Não é nada de outro mundo; é muito fácil olhar e dizer “Aquela ali parece uma vagabunda vestida assim”.

Eu tenho amigos do gênero masculino que são feministas, eles ficaram extremamente felizes com o tema da redação. A ignorância foi usurpada deles, eles lutam pela igualdade dos gêneros, pela quebra de esteriótipos e muitas outras causas afins. A maioria deles é homossexual, sofrem desde que nasceram com o machismo. Oh, mas pera aí, eles são homens, não são?!

3. Não só as mulheres são vítimas da sociedade machista:

Homem que é homem tem que estar no sofá, coçando o saco, tomando cerveja e assistindo o futebol. Homem que é homem não ajuda nos deveres de casa. Homem que é homem tem que pagar a conta, colocar a mulher numa bolha e nunca, jamais, deixar ela superá-lo. Homem que é homem tem que ter ego frágil, odiar mulheres poderosas e decididas. Ser macho com M maiúsculo. Defender que família é homem e mulher, mas a amante e os bastardinhos que se fodam. Cozinhar, de jeito nenhum. Usar rosa, coisa de menina. Desenhar roupas, enterra primeiro. Dançar balé, infarto no miocárdio.

A luta pela igualdade dos gêneros é uma causa para os dois gêneros defenderem. Os homens também são afetados pela sociedade machista que impõe limitações e torna vários presos a ciclos viciosos de ódio e ignorância. A distinção de gênero é o princípio de vários dos males sociais que enfrentamos: homofobia, cultura do estupro, violência doméstica… É tanta merda que se você for pensar, realmente pensar, vai parar com essa de “isso não existe”.

Sobre a questão que citou Simone de Beauvoir no sábado:

Muitos ‘machistas’ e pessoas que precisam urgentemente voltar pro fundamental estão usando erroneamente a frase: Ninguém nasce mulher, torna-se mulher. Faltou interpretação de texto procês viu! Para Beauvoir, ser mulher está ligado aos direitos e deveres que a sociedade decidiu e impôs ao ser do sexo feminino, o posicionamento desta está fora de suas mãos.

wpid-img-20151025-wa0005.jpg

Não fiz ENEM esse ano, vocês não sabem o quanto estou decepcionada por isso. Eu teria sido uma daqueles que riu quando viu o tema da redação e quase fez dancinha da vitória. Acho que nada me impede de escrever uma redação super caprichada e enviar pro MEC de presente, ou até você aí que ficou a fim de falar do tema. Ou podemos deixar aqui mesmo o que pensamos, seja qual for seu posicionamento, sobre qualquer ícone feminista que te inspira.

Eu (re)indico a leitura do discurso Sejamos Todos Feministas, de Chimamanda Ngozi Adichie, ou, se preferir, assista o mesmo durante a apresentação no TED. Esse é um dos discursos que mais me emociona, ele abriu muito meus olhos para o que é ser feminista e como o machismo afeta não somente as mulheres. A solução que ela propõe é simplicista: crie seus filhos sem essa visão ultrapassada, sem restringi-los pelo seu gênero.

Tinha mais coisa pra dizer, mas por hoje basta. Até mais. May.